Terça-feira, 08.06.10

Senado - a farra dos atos secretos vai recomeçar com outro nome "terceirização"

Agora teremos a institucionalização das contratações.
Sarney e camarilha acreditam que os escândalos dos atos secretos foram esquecidos.
A familia dos mafiosos estará de volta
Senado quer recontratar 1,6 mil terceirizados
Um ano depois do escândalo dos atos secretos, da promessa de uma ampla reforma administrativa e da contratação por duas vezes, no valor de R$ 500 mil, da Fundação Getúlio Vargas (FGV) para aprimoramento da gestão e corte de gastos, o Senado voltou a adotar as "velhas" práticas. A Casa deu início a um processo de recontratação de 1.273 terceirizados para diferentes funções (de copeiros a chaveiros, passando por outros cargos de apoio) com salários que variam de R$ 1,2 mil a R$ 6 mil. O custo do edital, pregão 73/2010, é de cerca de R$ 55 milhões ao ano.
Veja.com
Levantamento da ONG Contas Abertas mostra ainda que, fora o edital, o Senado renovou, pela terceira vez, o contrato com a empresa Plansul Planejamento e Consultoria, que oferece outros 327 terceirizados na área de comunicação social. A empresa receberá R$ 17 milhões até dezembro, mostra a investigação da entidade. Somados, os dois contratos envolvem 1,6 mil terceirizados ao custo anual de pelo menos R$ 72 milhões.
No primeiro estudo da FGV, que não chegou a ser colocado em prática, a fundação advertia exatamente para o fato de que em vários casos os terceirizados desenvolvem atividades concorrentes com as atribuições dos servidores concursados. A FGV chegou a recomendar o corte de cerca de 30% dos terceirizados. O segundo estudo da FGV deve ser apresentado amanhã.
Contratação - Para justificar a contratação dos terceirizados, o Senado diz, no edital, haver "necessidade de prover serviços de apoio e suporte administrativo, técnico e operacional às atividades legislativas".
Em relação à renovação do setor de comunicação, a nota de empenho (documento que antecede o efetivo pagamento das despesas) informa que serão prestados, pela Plansul, "serviços de execução indireta nas áreas de televisão, rádio, jornal, relações públicas, pesquisa e opinião e outros órgãos da Secretaria Especial de Comunicação Social do Senado Federal, no período de 1º de abril a 31 de dezembro de 2010".
Os cargos variam desde arquivistas, assistentes de clipping e designers gráficos até fotógrafos, repórteres e supervisores de programa. Os salários vão de R$ 1,5 mil a R$ 4,5 mil.
Por meio de sua assessoria de imprensa, o Senado informou que tanto a recontratação dos terceirizados quanto o contrato com a Plansul estão de acordo com a lei. Segundo o Senado, um novo edital foi aberto em consequência da saída, em janeiro, de uma empresa - a Adservice - e da necessidade da prestação dos serviços.
publicado por Lord às 12:40 | link do post | comente
Sexta-feira, 04.06.10

Caso Sarney - Lembras disso?

18 Junho 2009 - ( http://elunardelli.blogspot.com/2009/06/o-caso-sarney.html )
Lamentável assistir a deterioração de um ser

humano, e pior quando esse ser é um ilustre, embora casualmente, ex-presidende do Brasil, e várias vezes presidente do Senado. O ex-presidente José Sarney, que teve uma medíocre passagem pelo poder executivo federal, e no ocaso de sua carreira política resolve voltar a presidir o Senado da Republica, com repercussões muito desabonadoras para sua pálida biografia. Homem do nordeste, acostumado aos clãs, e conchavos típicos dos políticos do passado, acompanhado do ex-presidente Collor, e do ex-presidente do senado, Renan Calheiro, de triste memória, em recentes escândalos, não poderia estar em piores companhias e lençóis! Esta colhendo no fim de sua vida, depois de 55 anos de política, os frutos que plantou. O mundo mudou e esses velhos caciques não se aperceberam disso! Viva a imprensa! Viva a democracia! Viva a liberdade! Mas resta uma pergunta: e a CPI da Petrobras?
publicado por Lord às 12:50 | link do post | comente

Quem é o Senador PAULO DUQUE o suplente, clandestino e bionico. Lembra disso?

Este homem arquivou 13 processos contra o Sarney

 

 

PAULO DUQUE (PMDB-RJ) é suplente de senador é ‘clandestino’, segundo suplente, herdou a vaga de Sérgio Cabral, eleito governador do Rio de Janeiro em 2006; o primeiro suplente, Régis Fichtner, deixou o Senado em fevereiro de 2007, quando assumiu a chefia da Casa Civil do governo do estado do Rio.

PAULO DUQUE é alguém que não aparece nas urnas, que se elege para um cargo tão nobre como é o de senador da República sem ninguém saber quem é. Só revelado no momento em que toma posse.Não tendo que se submeter ao escrutínio do eleitorado, o ‘clandestino’ pode dar as costas à opinião pública. Por isso, é usado pelos cardeais do Senado para fazer todo tipo de trabalho. Desde o mais impopular até o mais antiético. Serve para presidir Conselho de Ética e arquivar processos contra senadores poderosos. Serve para assar pizza em CPI. Serve para participar de tenebrosas transações onde se negocia tudo e todos. Em suma, o suplente de senador é utilíssimo!

PAULO DUQUE custa 33 MILHÕES POR ANO AOS COFRES PÚBLICOS.

(A OAB defende, na discussão sobre a reforma política, a extinção da figura do senador suplente sem voto. A entidade ressaltou que sugestão já foi encaminhada em 2008 pelo Conselho Federal da OAB aos dirigentes dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciario.)Senador Paulo Duque, aliado de Renan e presidente da Comissão de Ética, diz que 'opinião pública é volúvel'

publicado por Lord às 12:12 | link do post | comente
Quarta-feira, 02.06.10

Renan comanda resistência à renúncia de Sarney - Lembra disso?

sexta-feira, 31 de julho de 2009, 21:45 - Estadão Online
Estratégia é pôr a tropa de choque do PMDB para se revezar no Senado e denunciar erros da oposição

Renan Calheiros traça estratégia BRASÍLIA - Decidido a comandar a resistência à possível renúncia do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), ao cargo, o líder do PMDB, Renan Calheiros (AL), resolveu esticar a corda e partir para cima da oposição. A estratégia é pôr a tropa de choque do PMDB para se revezar na tribuna do Senado, a partir desta segunda-feira, quando acaba o recesso parlamentar, denunciando ininterruptamente erros da oposição, em particular do líder do PSDB na Casa, Arthur Virgílio (AM). No início da semana, o PMDB promete entrar com três a quatro representações contra o tucano no Conselho de Ética do Senado.
tags: ,
publicado por Lord às 01:00 | link do post | comente
Terça-feira, 01.06.10

Duque diz não temer cobrança sobre isenção no caso Sarney porque a opinião pública é volúvel - Lembra disso?

16/07/2009 - Folha Online, em Brasília


Um dia após ser eleito para comandar o Conselho de Ética do Senado, o senador Paulo Duque (PMDB-AP), voltou a sinalizar pretende blindar o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Duque disse que não teme ser cobrado para que atue com isenção porque a opinião pública é volúvel.

 

Cariocas este canalha do Paulo Duque não recebeu um único voto, foi ao senado por ser suplente. Vejam bem em quem votam e quem são seus suplentes. Esta é mais uma das armadilhas eleitorais!

publicado por Lord às 16:00 | link do post | comente
Quinta-feira, 27.05.10

Filho de Sarney fraudou operação, diz PF

O empresário Fernando Sarney, filho do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), lavou e repatriou US$ 1 milhão enviado ilegalmente para fora do país, diz a Polícia Federal.
Ele usou um esquema fraudulento de comércio exterior para trazer o dinheiro de volta ao Brasil -a conclusão consta de um dos inquéritos da Polícia Federal oriundos da Operação Faktor (ex-Boi Barrica).
A Folha revelou no final de março que a PF suspeitava desse tipo de transação envolvendo Fernando. Agora os policiais afirmam, no relatório final da investigação, ter comprovado que a operação foi feita.
De acordo com a PF, o filho do presidente do Senado usou recursos de uma conta nas Bahamas, não declarada à Receita Federal, para quitar uma dívida de um grupo empresarial do Piauí com um exportador chinês. Em troca, Fernando recebeu no Brasil o equivalente ao dinheiro depositado lá fora.
O mecanismo é chamado de dólar-cabo, instrumento financeiro operado por doleiros ao qual brasileiros que têm contas ilegais no exterior recorrem quando precisam dos recursos em reais aqui no país.
Por conta desse artifício, Fernando Sarney foi indiciado, na semana retrasada, sob acusação de evasão de divisas e lavagem de dinheiro. No mesmo inquérito foi indiciado, sob acusação de crime contra a ordem tributária, um empresário piauiense que também teria feito parte do esquema, segundo a PF. Fernando Sarney nega ter cometido irregularidades.
Empresário tem negado que haja irregularidades
A reportagem não conseguiu ontem contato nem com os advogados de defesa nem com o empresário Fernando Sarney.
Nos últimos meses, Fernando tem negado irregularidades e se recusado a comentar as acusações da Polícia Federal alegando que os inquéritos que envolvem o seu nome correm em segredo de Justiça.
Segundo o empresário, o vazamento do conteúdo dos inquéritos é criminoso.
Fonte: http://congressoemfoco.uol.com.br/noticia.asp?Cod_Canal=1&Cod_Publicacao=32956

publicado por Lord às 17:00 | link do post | comente

posts recentes

links

free counters
eXTReMe Tracker

tags

subscrever feeds

últ. comentários