Quinta-feira, 10.06.10

Militante histórica do PT chama Lula de "caudilho" e deixa partido

Militante histórica do PT de Minas e primeiro petista a disputar o governo mineiro, em 1982, a ex-deputada federal Sandra Starling se desfiliou ontem do partido contrariada com o PT nacional e com o presidente Lula, a quem chama de "caudilho".

Após 32 anos de militância partidária, Starling, 66, não aceita a imposição do PT nacional ao diretório mineiro do partido, que não poderá lançar o ex-prefeito Fernando Pimentel para o governo de Minas e terá que se coligar com o PMDB do senador Hélio Costa, em nome da aliança pró-Dilma Rousseff.

Na tarde de ontem, logo após comunicar sua desfiliação ao juiz eleitoral de Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte --documento que encaminharia também ao PT do município--, ela falou à Folha. "É lamentável que o PT acabe refém de uma pessoa, que é o Lula. [Ele] Tem os seus méritos, mas todo mundo tem algum mérito; virou caudilho no partido, manda, desmanda, decide, todo mundo obedece. Não dá!" (íntegra, Folha.com)
Fonte: http://ivanpimentel.blogspot.com/2010/06/militante-historica-do-pt-chama-lula-de.html
publicado por Lord às 13:00 | link do post | comente

Lula se contradiz ao falar do suposto dossiê

O presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT) se irritou na última terça-feira (8) ao ser questionado sobre o suposto dossiê preparado pelos petistas, mirando atingir o ex-governador de São Paulo, José Serra (PSDB) e sua filha Verônica.
Pura Política

Segundo Lula isso tudo não passa de uma armação, que provocou o afastamento de petistas na campanha da pré-candidata à presidência da Republica, Dilma Rousseff. Com todo o respeito que tenho a vocês (jornalistas) e a mim mesmo, há assuntos mais sérios para se discutir do que o dossiê do PSDB. Já que esse caso é tão absurdo que se fosse lido em trinta segundos, daria para ver que é não passa de uma armação, afirmou Lula na coletiva de imprensa da inauguração do Banco de Sangue de Cordão Umbilical e Placentário do Ceará.

Porém, se contradiz ao falar que não havia lido o dossiê, apenas leu matérias relacionadas ao mesmo, afirmando que sua única preocupação é governar o Brasil até o dia 31 de dezembro de 2010.

tags: ,
publicado por Lord às 12:00 | link do post | comente
Segunda-feira, 07.06.10

PT é refém de Lula

Até o anúncio do resultado da sucessão presidencial de 2010, não há a menor chance de um levante ou racha petista influenciar os rumos que o
presidente Luiz Inácio Lula da Silva dita ao partido. Motivo: não existe um líder no PT capaz de se contrapor à força de Lula.
Desde de 2004, quando José Dirceu ainda era o poderoso chefe da Casa Civil e quase beijou a lona por causa do episódio Waldomiro Diniz, começou a novela de destruição de biografias do PT. Caíram todos aqueles que poderiam, com algum brilho ou poder próprios, contestar ou persuadir Lula.
Ao longo desses sete anos de governo, Lula cresceu, e o PT diminuiu. Governadores, senadores, deputados e a cúpula da máquina petista têm sido solenemente ignorados pelo presidente.
Ao escolher a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) como candidata à sua sucessão, Lula nem disfarçou. Não chamou para jantar no Palácio da Alvorada a cúpula partidária a fim de pedir opinião. Apontou o dedo para Dilma e ponto.
leia a reportagem completa:
http://direitabeminformada.blogspot.com/
tags: ,
publicado por Lord às 14:00 | link do post | comente
Quinta-feira, 03.06.10

O aumento dos aposentados

O presidente Lula deve decidir até o fim desta semana qual destino dará a lei aprovada pelo Congresso concedendo reajuste de 7,72% aos aposentados pelo INSS. Segundo interlocutores do presidente, é muito provável que ele siga o conselho da equipe econômica e vete o projeto aprovado.

Postado por Cristiana Lôbo

Se isso for feito, Lula será obrigado a editar uma outra medida provisória para reajustar o benefício dos aposentados. Ele optaria pelo mesmo valor da medida original – 6,14%. Segundo um ministro, este porcentual foi resultado de acordo com os representantes dos aposentados que, mais tarde, foram ao Congresso pressionar por aumento maior.

A solução de dar aumento de 7% – uma proposta que foi cogitada no Congresso – não faria sentido, segundo um ministro, porque ele sofreria o desgaste político de vertar um aumento aos aposentados, e ficaria a R$ 700 milhões de reais da lei aprovada pelo Congresso.

Não haveria problema na edição de uma medida provisória no mesmo porcentual de 6,14% porque esta foi editada no ano passado – a lei não permite edição de MP igual no mesmo ano.

Os ministros da área econômica sugeriram o veto à lei aprovada pelo Congresso porque, segundo Paulo Bernardo, o custo anual do reajuste dos aposentados ficaria em quase R$ 5 bilhões por ano. É que a reposição da inflação implicaria reajuste de 3,5%. A partir daí, cada ponto porcentual custaria aos cofres públicos R$ 1 bilhão de reais.

Na reunião de coordenação, hoje, foi lembrado que Lula em 2006 vetou reajuste aos aposentados, mesmo em período em que enfrentava uma difícil campanha presidencial. Hoje, os petistas avaliam que a disputa corre mais a favor de Dilma do que no caso de Lula em 2006.

publicado por Lord às 17:00 | link do post | comente
Quarta-feira, 02.06.10

"Lula me deve uma janta", diz Roberto Jefferson

A dias do marco de cinco anos da entrevista que provocou o maior escândalo do governo de Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-deputado e


presidente do PTB, Roberto Jefferson, avalia que contribuiu para a alta popularidade do presidente ao afastar do Palácio dos Planalto os envolvidos no suposto esquema de compra de apoio no Congresso.

 

 

TV UOL

Em entrevista exibida na TV UOL, Jefferson disse ainda não guardar ressentimento após a turbulência política de 2005 causado pelo escândalo do mensalão, que derrubou a cúpula do PT, ministros do governo federal, dirigentes de estatais e empresas privadas e parlamentares, incluindo ele próprio. "Eu livrei o governo dele do José Dirceu, [Luiz] Gushiken, [José] Genoino, Marcos Valério, Delúbio [Soares]. Ele me deve uma janta. O governo dele cresceu a partir daí", afirmou, referindo-se ao ex-ministro da Casa Civil, ao ex-secretário de Comunicação, o ex-presidente do PT, o empresário que intermediava o esquema e o ex-tesoureiro petista.

 

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/multimidia/videocasts/744397-lula-me-deve-uma-janta-diz-roberto-jefferson.shtml

publicado por Lord às 16:00 | link do post | comente
Terça-feira, 01.06.10

Dilma, candidatura pode ser impugnada - pelo Ministro Marco Aurélio

O que o Ministério Público está esperando para tomar uma atitude?


Leia a notícia:
Marco Aurélio: “O exemplo vem de cima”
O ministro Marco Aurélio Mello, do TSE, afirmou ao Radar Online que as multas aplicadas a Lula e Dilma Rousseff podem pesar numa eventual impugnação da candidatura da petista. O MP pediu a quinta condenação ao presidente e a terceira à candidata do PT por campanha eleitoral antecipada. Segundo Marco Aurélio, essas sucessivas multas podem pesar no convencimento dos ministros, se futuramente o MP ou os partidos de oposição vierem pedir a impugnação da candidatura de Dilma.
Para o ex-presidente do TSE, “não basta satisfazer a multa e achar que está quite com a Justiça Eleitoral”. Embora frise que é uma posição pessoal, não do colegiado, Marco Aurélio disse que os candidatos e partidos precisam ter cuidado para não serem “surpreendidos”. Marco Aurélio foi duro na questão da reincidência de Lula. Diz o ministro:
– É claro que se aguarda do dignatário da nação uma postura de respeito à lei. É muito ruim quando o presidente da República não dá o exemplo. O exemplo vem de cima. Isso nos deixa perplexos.

publicado por Lord às 12:00 | link do post | comente
Domingo, 30.05.10

Relembrando - Lula fecha olhos para escândalos quando lhe convém, diz 'Economist'

BBC Brasil

O revista britânica The Economist diz na edição que chegou às bancas nesta sexta-feira que os escândalos do Senado brasileiro são um lembrete das falhas cometidas por aliados do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da "disposição de Lula em fechar os olhos para escândalos quando lhe convém".
publicado por Lord às 20:16 | link do post | comente
Terça-feira, 25.05.10

Reajuste dos aposentados - Mantega diz que Lula ainda não decidiu sobre reajuste de 7,7%

O ministro Guido Mantega (Fazenda) afirmou neste terça-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda não decidiu se vai vetar o reajuste de 7,7% para os aposentados que ganham acima de um salário mínimo. O aumento foi aprovado na semana passada pelo Congresso.


EDUARDO RODRIGUES - Folha de S. Paulo


"O presidente ainda não decidiu se vai vetar [o reajuste] ou não", disse Mantega, que ressaltou que uma eventual alteração no reajuste também poderá ser feito via medida provisória.


Os ministros da área econômica já dão como certo pelo menos o veto presidencial sobre o fim do fator previdenciário, também aprovado na semana passada pelos parlamentares, que reduz a aposentadoria de quem se retira do mercado de trabalho antes da idade mínima.


O presidente Lula tem até o dia 1º de junho para sancionar ou vetar o projeto.

publicado por Lord às 16:42 | link do post | comente
Segunda-feira, 24.05.10

Reajuste dos aposentados - Lula evita afirmar se vetará Brasília

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva evitou hoje dizer taxativamente que vai vetar o reajuste dos aposentados acima dos 7% acertado com os líderes governistas. Disse que vai esperar a decisão final do Senado e avaliou que a "Câmara cumpriu o seu papel". E acrescentou: "O presidente também cumprirá o seu papel".

Veja

Questionado sobre se os deputados haviam tomada uma decisão eleitoreira, Lula disse: "Isso fica por conta da interpretação de cada um de vocês (jornalistas). Mas não vejo necessidade de, neste momento excepcional que o Brasil está vivendo, a agente fazer qualquer espécie de loucura em qualquer área". Lula disse que ele, assim "como todo mundo", também tem "apreço pelos aposentados". Admitiu que "no ano eleitoral, o apreço aumenta de forma extraordinária".

"COVARDE"

publicado por Lord às 00:14 | link do post | comente | ver comentários (1)
Sábado, 22.05.10

Mensalão - Lula mentiu ao povo durante 5 anos ao admitir que foi avisado. Nos EUA já estaria preso.

A Folha de S. Paulo antecipou há uma semana o que Lula dirá à Justiça no depoimento sobre o escândalo do mensalão: ouviu o palavrão pela primeira vez em março de 2005, numa conversa com Roberto Jefferson. O presidente da República mentiu durante quase cinco anos, deveria ter acrescentado o jornal, que divulgou no início de junho de 2005 o encontro que Lula sempre negou ter existido.
E continua mentindo, informa a releitura da entrevista concedida à Folha por Jefferson, então deputado federal e presidente do PTB, que começou a escancarar o maior escândalo político-policial do Brasil republicano. A conversa no Palácio do Planalto não ocorreu em março, mas em janeiro. No gabinete presidencial, Lula ouviu a narrativa ─ testemunhada, segundo Jefferson, pelos ministros José Dirceu, Aldo Rebelo e Walfrido dos Mares Guia ─ em silêncio e aparentando perplexidade, declarou-se grato ao informante e prometeu providências imediatas.
Dez dias mais tarde, no depoimento à CPI que nasceu para investigar a roubalheira nos Correios mas acabou devassando o pai de todos os escândalos, Jefferson enriqueceu com detalhes hiperbólicos o encontro no Planalto. ”A reação do presidente foi a de quem levara uma facada nas costas”, comparou. “As lágrimas desceram dos olhos dele. Ele levantou e me deu um abraço”.
Em seguida, decidido a poupar Lula do tiroteio, o depoente concentrou-se no alvo preferencial. “Vi um homem de bem se sentir traído por um cordão de isolamento que havia em torno dele”, mirou no chefe da Casa Civil. “Aí descobri por que a gente era sempre barrado no Zé Dirceu. No Rasputin”. O discurso foi subindo de tom até desembocar na exortação famosa: “Saí daí, Zé! Rápido, sai daí rápido, Zé”.
Zé não demorou a ser despejado, mas as providências imediatas ficaram na promessa, confirma a reportagem da Folha que revelou as linhas gerais do depoimento ensaiado por Lula. ele dirá à Justiça que, depois de ouvir as denúncias feitas por Jefferson, escalou para investigá-las o ministro Aldo Rebelo e o deputado Arlindo Chinaglia, líder do governo na Câmara. A dupla de sherloques apresentou em poucos dias as conclusões do inquérito: não haviam localizado nenhuma evidência, nenhum indício, nenhuma pista.
Não enxergaram sequer vestígios da montanha de provas acumuladas nos meses seguintes. Em vez de dois detetives governistas, trataram do caso a imprensa, a polícia, o Ministério Público, a CPI dos Correios, a Procuradoria Geral da República e o Supremo Tribunal Federal. Passados quase cinco anos, o que se sabe é mais que suficiente para que os integrantes da organização criminosa sofisticada sofram o castigo merecidíssimo.
Mas Lula repete desde junho de 2005 que todos os bandidos de estimação são inocentes. Entre as inumeráveis mentiras que contou, só vai revogar a que ocultou o encontro com Jefferson. E decerto dirá, mais uma vez, que o mensalão não existiu. Se o Brasil fosse menos primitivo, o depoente seria preso por perjúrio, ocultação de provas e obstrução da Justiça.

Fonte: http://veja.abril.com.br

publicado por Lord às 23:07 | link do post | comente | ver comentários (7)

posts recentes

links

Posts mais comentados

free counters
eXTReMe Tracker

tags

subscrever feeds

últ. comentários